A Vaca Louca e Seu Badalo
A Louca Vida no Campo
     junho 28, 2004

"Demagogia (Feita à Maneira) é Como Queijo (Numa Ratoeira)" 

 

       Quase me sinto mal por desabafar isto aqui, dado o momento - incontornavelmente - especial da nossa história, que vivemos. Garanto que já fui mais patriota que sou. Garanto que já tive mais esperança; nas pessoas, nas coisas, nos rumos. Quando era jovem e imberbe ainda pensei enveredar pelas políticas, mas logo à partida percebi que não teria estômago para a tal actividade.

       A política, (não só em Portugal, mas é com essa realidade que temos mais directamente de viver) é um associativismo interesseiro e egoísta. O Princípio de Peter funcionará quase desde a base quanto à capacidade do agente em pôr de parte os seus escrúpulos. Comigo não resultou, não resultaria, e o sonho esboroou-se quando me apercebi que a estrutura de cúpula se interessou por mim não pelos alegados mérito e tenacidade com que apareci em público, mas pela quantidade de votos que já levava atrás de mim e que poderia continuar a levar. Abandonei. E com esse abandono, veio o desinteresse pelos meandros da política em geral. Desde logo por entender que se torna tão difícil saber onde está a verdade que se revela inglória a exaustão de tentar descobri-la. Em segundo lugar, porque nas raras ocasiões em que consigamos perceber como as coisas se passam, o espectáculo será demasiado horroroso. E o mais pernicioso nisto tudo é que a política deveria ser - por essência é - a organização e condução dos nossos destinos comuns, da nossa vida em sociedade. A divisão de tarefas em prol de um bem-estar geral. Mas há muitas coisas a emperrar o bem-estar geral. Para o atingir é necessária abnegação, competência, virtuosismo, honestidade. Tudo coisas muito chatas e trabalhosas. Acaba por ser mais fácil e rentável meter a unha... e daí a realidade.

       Já tenho vindo aqui espetar a minha farpa no Estado (naturalmente ironizando), e é claro que aí acabo por de alguma forma atingir os seus elementos: as instituições, os órgãos, as pessoas titulares desses órgãos. O órgão de soberania dito executivo é, por excelência, o alvo-maior destes e outros desabafos. Compreende-se. E é merecido. Mas hoje vim aqui chorar outra coisa. Já que o leitor chegou até aqui, mais vale ler até ao fim. Acabámos por nos afrouxar um pouco na nossa atitude de cidadãos no que se refere à titularidade da soberania nacional. A Constituição da República Portuguesa claramente sublinha. «A soberania, una e indivisível, reside no povo, que a exerce segundo as formas previstas na Constituição.» (art.º 3.º, n.º 1 CRP). Mas que tipo de soberania poderá este povo exercer com cúpulas organizativas tão miseráveis quanto as que temos? O povo, ao que creio, tem preferido encolher os ombros ou meter a unha no seu próprio feudozinho imitando os grandes já que a alternativa seria fazer estalar uma revolução, jorrar mais sangue, e eventualmente ficar tudo pior do que antes.

       Peço perdão, estou a perder-me. O que queria desabafar com quem me lê é esta infindável tristeza de observar que a nossa classe política de cada vez se refina mais no seu egoísmo. E, se era certo que os detentores do poder em cada altura têm vindo a assumir mais ou menos abertamente o papel de carrascos dos nossos esforços, agora, nestes tempos mais recentes, que correm, parece ter ocorrido o fenómeno que anuncia a decadência final: até a oposição prima pela demagogia pura e dura, com o objectivo de picar pedra, esmagar, a todo o custo. Não se pense que estou a dirigir as minhas ideias a certas cores. Rosas, Laranjas, Azuis, Vermelhos, são todos a mesma miséria. Talvez o cheiro seja um nadinha diferente, duns para os outros... A questão é que me sinto totalmente livre para poder falar disto. Sou apartidário convicto, praticante, quase militante. E chorei quando me habituei à ideia de que os detentores do poder querem eternizar-se nesse bendito poleiro. Mas umas encolhidelas de ombros depois, já quase não me doía tanto. Agora choro porque também aqueles que desejam o poder mas não o detêm, que supostamente seriam a única esperança dos verdadeiros titulares da soberania (popular), a Oposição, perdeu a vergonha de vez e decidiu enxovalhar-nos na única réstia de dignidade comunitária que nos restava, roubando-nos qualquer eventual centelha de esperança.



       A oposição, ao querer forçar o Presidente da República a convocar eleições antecipadas, esfrega as mãos de contente sem sequer sentir a gravidade do seu acto. É um rebaixar da Nação em todas as frentes: esvaziando o papel do Chefe de Estado e passando o derradeiro atestado de imbecilidade à população que ainda poderia acreditar que se fosse a presente oposição a governar as coisas seriam diferentes para melhor. Bom... e seriam, certamente... melhor para eles... E o que me constrange mais é a linha "argumentativa" (aqui as aspas são essenciais, puah!) que já ouvi usar. Se o Primeiro Ministro apresenta a sua proposta de exoneração ao Presidente da República, não há que nomear outro do mesmo partido mas acelerar esta legislatura? ...porque as Eleições Europeias inverteram os resultados das legislativas? E continuo a perguntar! Então mas o povo não votou em quem quis? O povo não sabe o que é votar para a Assembleia da República (com a consequente nomeação do Primeiro Ministro e do Governo) e confunde tal acto com a eleição para Estrasburgo? O povo é assim tão ignorante? Ou então agora, que convém, uma urna é uma urna e esses pormenores são indiferentes? Acaso haverá alguém a defender que deveriam rearrumar-se neste momento as cores dos assentos parlamentares atendendo aos mais recentes resultados eleitorais? E do Governo, já agora, ainda que o PM não fosse (ou não vá, enfim) presidir a Comissão Europeia? Ou a falta de vergonha é tanta que nada disto interessa, pois que o que interessa é que os ventos estão favoráveis para os pretendentes ao poleiro lá chegarem? Ou também não interessa que alguns dos que agora bradam terem executado uma manobra ao menos equivalente quando um presidente de câmara deu o lugar ao seu número dois para assumir uma candidatura à presidência da república - sem perguntar nada às instituições democráticas, claro -, de forma ligeira e descarada? Areia para os olhos? Mais? Mas ainda há alguém que não tenha esgotado a paciência??


plantado por Badalo @ 21:15 |

   
     junho 24, 2004

Sobre a Homosexualidade e Preconceitos - Em Nome de Deus 

 


Recentemente, uma célebre locutora de rádio dos EUA afirmou que a homossexualidade era uma perversão:
«É o que diz a Bíblia no livro do Levítico, capítulo 18, versículo 22:
"Tu não te deitarás com um homem como te deitarias com uma mulher: seria uma abominação". A Bíblia refere assim a questão. Ponto final», afirmou ela.

Alguns dias mais tarde, um ouvinte dirigiu-lhe uma carta aberta que dizia:

«Obrigado por colocar tanto fervor na educação das pessoas pela Lei de Deus. Aprendo muito ouvindo o seu programa e procuro que as pessoas à minha volta a escutem também. No entanto, eu preciso de alguns conselhos quanto a outras leis bíblicas.
Por exemplo, eu gostaria de vender a minha filha como serva, tal como nos é indicado no Livro do Êxodo, capítulo 21, versículo 7. Na sua opinião, qual seria o melhor preço?
O Levítico também, no capítulo 25, versículo 44, ensina que posso possuir escravos, homens ou mulheres, na condição que eles sejam comprados em nações vizinhas. Um amigo meu afirma que isto é aplicável aos mexicanos, mas não aos canadianos. Poderia a senhora esclarecer-me sobre este ponto? Por que é que eu não posso possuir escravos canadianos?
Tenho um vizinho que trabalha ao sábado. O Livro do Êxodo, capítulo 25, versículo 2, diz claramente que ele deve ser condenado à morte. Sou obrigado a matá-lo eu mesmo? Poderia a senhora sossegar-me de alguma forma neste tipo de situação constrangedora?
Outra coisa: o Levítico, capítulo 21, versículo 18, diz que não podemos aproximar-nos do altar de Deus se tivermos problemas de visão. Eu preciso de óculos para ler. A minha acuidade visual teria de ser de 100%? Seria possível rever esta exigência no sentido de baixarem o limite?
Um último conselho. O meu tio não respeita o que diz o Levítico, capítulo 19, versículo 19, plantando dois tipos de culturas diferentes no mesmo campo, da mesma forma que a sua esposa usa roupas feitas de diferentes tecidos: algodão e polyester. Além disso, ele passa os seus dias a maldizer e a blasfemar. Será necessário ir até ao fim do processo embaraçoso que é reunir todos os habitantes da aldeia para lapidar o meu tio e a minha tia, como prescrito no Levítico, capítulo 24, versículos 10 a 16? Não se poderia antes queimá-los vivos após uma simples reunião familiar privada, como se
faz com aqueles que dormem com parentes próximos, tal como aparece indicado no livro sagrado, capítulo 20, versículo 14?
Confio plenamente na sua ajuda.»

Como gostaria de conhecer a resposta da dita locutora...


plantado por Vaca Louca @ 10:29 |

   
     junho 23, 2004

Eu Paguei - Parte II 

 

Ontem, quando chegámos aqui à quinta, tínhamos na caixa de correio um livrinho publicado pelo Governo Civil de Lisboa, denominado “Marque um golo com Portugal / Kick off a goal with Portugal”.Tanto Vocabulário Este livro é escrito em português, tendo também a tradução para o inglês. Basicamente fala dos diversos Concelhos do Distrito de Lisboa, descrevendo os focos de interesse de várias localidades. Até aí, nada de estranho, a não ser o facto de que, pela lógica, isto deveria ser uma informação de interesse, essencialmente, para os turistas que povoam nesta altura a cidade de Lisboa (daí a tradução), ou então, estou completamente errada, e o Governo Civil de Lisboa preocupa-se com a aprendizagem do inglês, e fez este pequeno livro com o intuito de nos ajudar a aprender mais qualquer coisa desta língua anglo-saxónica.
Mas chegando ao fim, deparei-me com o capítulo “Vocabulário”, onde constam diversas frases em inglês, por baixo a tradução em português e por fim algo de estranho, como podem ver pelo exemplo da imagem.
Para os ingleses deve ser bastante útil, poderem dizer com os dentes todos: “Ond feeca oo eshtahdeeoo?”. A questão é: Alguém vai conseguir perceber?
Pagam os contribuintes estas brincadeiras.


plantado por Vaca Louca @ 10:51 |

Eu Paguei 

 

"Vamos Ganhar o Campeonato da Hospitalidade", uma brochura do Governo Civil de Lisboa.

dinheiro bem empregue


       Lithuânia? Em que língua está escrito? E coitadas das Ilhas Faroé! Só fizeram um jogo (J)!? E o que poderá explicar a Alemanha, apurada, ter conseguido oito vitórias (V) sem marcar qualquer golo (GM)?! Ah! Já sei! Deve ser uma espécie de passatempo, a boa disposição a incitar à hospitalidade. "Olhe bem para esta tabela. Aparentemente está correcta, mas não está! Descubra você mesmo qual a ordem certa das colunas"...


plantado por Badalo @ 09:00 |

   
     junho 20, 2004

Census da Semana 

 

Auto Retrato       Não foi fácil, mas lutámos com denodo até que Leonardo - ele mesmo! - nos recebesse! Dissemos-lhe que se tratava de um anseio profundo da maioria do nosso público votante conhecê-lo melhor, à falta da possibilidade de passar umas férias connosco e deixarmos criar alguns laços. Relutante a um a primeiro momento, finalmente aceitou, e devo já adiantar que repudio o boato que já ouvi soprar por aí que isso tem alguma coisa que ver com um alegado rolinho de notas a passar de mão em mão. Nós somos pobres.
       Bom! A questão é que conseguimos sacar-lhe uma entrevista exclusiva e é com muito gosto que, dessa forma, passamos a apresentar mais esta grande cacha (jorn.).

Badalo - Sr. Leonardo, dá-me licença?
Leonardo da Vinci - Olá! Esteja à vontade...
Badalo - (sentando-se) Posso fumar?
Leonardo - Bom, isso não é o mais dócil para os alvéolos pulmonares...
Badalo - Sim, eu...
Leonardo - Quer que lhe faça um desenho dum par de pulmões alcatroados? (agarra numa folha de esquisso)
Badalo - Não será necessário, obrigado... eu... fumo depois... diga-me...
Leonardo - Sim?
Badalo - Há uma coisa que o público fiel do meu blogue realmente deseja saber, independentemente de reconhecerem o génio de vossa excelência...
Leonardo - Sim?
Badalo - ...sim! Como vai isso de amores?
Leonardo - Perdão?
Badalo - E aquela Gioconda era quem, afinal?
Leonardo - Amores?
Badalo - Não é isso! Por que é que na verdade escrevia em reverso?
Leonardo - ...mas eu...
Badalo - Ok! Já percebi! A fazer caixinha, não é?! Tudo bem... Sabe que dizem por aí que gostava de agasalhar o palhaço?
Leonardo - (suspira) É tarde... preciso de dormir...
Badalo - Tudo bem. Também ainda tenho de ir ver as vistas. Só mais uma pergunta!
Leonardo - Sim?
Badalo - Obrigado!

       Para quem não conhece, aqui fica este link precioso (é só clicar onde diz "Leonardo's Notebook"), a quem se aconselha o uso pleno das funcionalidades, designadamente a lupa e o "mirror").


plantado por Badalo @ 15:46 |

   
     junho 19, 2004

Nota de Rodapé 

 

Citação:

       «A Razão apenas consegue gritar, até enrouquecer, as leis da honestidade. É raínha de quem os homens troçam e injuriam até que, cansada, se cala e confessa vencida.»(*)


in "Elogio da Loucura" - Erasmo de Roterdão


__________

(*) - O Erasmo devia ser um gajo porreiro mas escrevia sobre coisas complicadas de mais. O que será a honestidade?


plantado por Badalo @ 22:04 |

   
     junho 18, 2004

Sem Comentários 

 

Ratazana banhando-se em leite de burra

plantado por Badalo @ 22:18 |

   
     junho 15, 2004

Viagens à Plena Parvoíce 

 

Como já havia escrito aqui, o mundo internetico fascina-me, essencialmente o que me seduz é o tempo que certas pessoas, assim como nós aqui, perdem tempo a publicar disparates. Mas não só. O mundo virtual tornou-se numa arma de propagação de todo o tipo de porcarias, inclusivamente ideologias que, ingenuamente, pensei que estivessem esquecidas.
Durante estes meus passeios pela net, acabei por dar com alguns sites demonstrativos do pior, como o caso deste site, com todo o tipo de informação sobre os direitos da raça branca. Mais racista e xenófobo não há. E se o aliarmos a este do Ku Klux Klan, temos uma bomba, feita do pior que as pessoas têm.
Ainda nesta linha deparei com um site que tem todos os arquivos de censura, onde se podem pesquisar por regiões no globo, ou por palavras. É bastante completo, e acaba por ser giro ver o que foi censurado ao longo dos tempos. Nesta linha temos um fabuloso site americano que se intitula “Projecto Acção de Protecção das Crianças” e, basicamente o que se propõem é a fazer uma crítica aos filmes e classificar quais o que não devem ser vistos por crianças e porquê. Até aqui tudo normal, mas dando uma olhada mais atenta, começa-se a perceber que há poucos filmes que as crianças podem ver, (nem o Shrek escapa) vejam o exemplo da Família Adams, hilariante.
E depois, ainda dentro das americanices, encontrei dois sites que falam sobre aquele fabuloso palhaço chamado George W. Bush, um onde constam todas as calinadas que este maravilhoso presidente dá, e não são poucas e outro onde antiga propaganda politica foi “adulterada”, de forma a enquadrar-se ao Sr. Bush. E se a ele juntássemos este senhor, que é especialista no arremesso de tartes a políticos, o quadro perfeito estaria completo.
Divirtam-se a vê-los, pois a mim já me dói a barriga.


plantado por Vaca Louca @ 12:35 |

   
     junho 13, 2004

Census da Semana 

 

       Parece de propósito mas não é: temos um retumbante sucesso das baboseiras (com especial destaque para quando em grande quantidade) e logo a seguir submetemos ao nosso público votante um dos census mais sérios até à data. Em dia de eleições para o Barlavento Europeu inauguramos a nova urna, sobre a personalidade, viva ou morta, que mais gostaria de conhecer-se ou de ter-se conhecido pessoalmente. Aproveite-se, pois, o anonimato do voto. Nós cá os recolheremos e tentaremos ilustrar o resultado daqui a uma semana. Até lá!


plantado por Badalo @ 22:23 |

Ser Cubista é... Precisar de Usar Óculos 

 

Femme Ecrivant - P. Picasso


- Outro Picasso, a esta hora?
- Não, é uma senhora a escrever.
- Ah.


plantado por Badalo @ 14:42 |

   
     junho 11, 2004

Nota de Rodapé 

 

Citação:


       «Uma das razões por que podemos ficar tão surpreendidos pelas nossas explosões emocionais é, portanto, o facto de elas datarem de uma altura das nossas vidas em que tudo era estranho e não tínhamos ainda palavras para compreender os acontecimentos.»(*)


in "Inteligência Emocional" - Daniel Goleman (1995)


__________

(*) - Outra das razões é, por tantas vezes, permanecermos sem as ditas palavras, apesar dos aperfeiçoamentos neocorticais.


plantado por Badalo @ 12:44 |

   
     junho 10, 2004

In Memoriam 

 

Grande Entre Os Maiores

plantado por Badalo @ 21:41 |

   
     junho 09, 2004

Refrões Profundos - Traduções Espantosas 

 

       Os leitores habituais desta página terão já notado que algumas das nossas rúbricas têm conhecido evoluções, quais Pokémons. Assim foi com a rúbrica Citação, a qual se transformou em Nota de Rodapé, e haverá decerto mais exemplos mas sinceramente não nos conseguimos lembrar de qualquer outro. Também para o caso não importa.

       Desta vez trazemos uma bomba, que é como quem diz, algo de mais ousado: ao refrão profundo, e respectiva tradução espantosa, adicionamos a possibilidade de ouvir a música original. Não é magnífico?! Optámos por não incluir a totalidade da letra, e, por maioria de razão, apenas traduzimos e apresentamos o áudio respectivo. De salientar, ainda, que no final do trecho apresentado não resistimos a incluir os versos finais da canção, devidamente vertidos, por se tratar de uma das mais saborosas pérolas letrísticas de que temos memória. Infelizmente não lográmos encontrar qualquer imagem destas aves raras.

Boys Don't Cry - "I Wanna Be A Cowboy"


       A viagem começa neste link especialmente construído para o efeito.

plantado por Badalo @ 07:31 |

   
     junho 08, 2004

Tutorial da Vaca Louca 

 

       Lembram-se de, mais abaixo, termos apresentado o Capitão Cuecas? Provavelmente por ter rastreado o nosso post resolveu fazer-nos uma visita durante o fim-de-semana; fizémos uma patuscada das antigas, trocámos umas piadas e partilhámos experiências de vida. Aproveitei para lembrar à minha mui querida Vaca Louca que talvez o Capitão Cuecas nos pudésse ensinar, de uma vez por todas, a coreografia recordista no caudal de pedidos que nos chegam diariamente por e-mail. Sim, é isso mesmo: em estreia mundial, temos o orgulho de apresentar o primeiro tutorial coreográfico bovino das... (permitam-me conservar o suspense até que se clique aqui)...


plantado por Badalo @ 12:40 |

   
     junho 07, 2004

Desafio 

 

Esta semana resolvemos propor um novo desafio aos nossos amigos leitores.
E então passa-se assim: Vamos dar uma série de personagens, com características de personalidade, e/ou físicas.
O desafio consiste em que os leitores desenvolvam parte de uma pequena história com estas personagens, deixando-a nos comentários e a ideia é que o primeiro comentário continue a história por nós começada, o segundo comentário seja o seguimento do primeiro e assim sucessivamente, à semelhança de jogos que se faziam quando éramos crianças.
Com a colaboração de todos, no fim da semana esperamos ter uma divertida história para publicar.

PERSONAGENS:
Maria – Dondoca, obcecada por sapatos e chapéus, completamente oca;
Leonor – Intelectual de esquerda. Vive angustiada por não ter vida sentimental;
Mateus – Vendedor, com ares de garanhão, que a todo o custo quer casar com uma mulher rica. A dificuldade é que sofre de grande gagueira, que tenta a todo o custo esconder;
Benjamim – Estudante universitário, muito tímido. Tem poucos amigos e anseia ser reconhecido como grande cientista.

A HISTÓRIA

O dia acordou soalheiro. Maria levantou-se da cama perto das nove horas, o que era pouco usual, demasiado cedo para ela. Mas nesse dia tinha cabeleireiro marcado para as dez e ainda tinha de pensar no que iria....


plantado por Vaca Louca @ 10:17 |

   
     junho 05, 2004

Census da Semana 

 

       Se é certo que já por duas vezes tínhamos apresentado census mistos (com três opções para cada género) só esta semana se traçou uma imagem sobre como se divide o nosso público votante entre homens e mulheres, já que não parece razoável que um homem escolhesse uma actriz para interpretar o filme da sua vida (excepção feita, claro, ao despassarado do porquinho-da-índia), ou vice-versa. Foi desta forma que ficámos a saber que apenas um terço, aproximadamente, dos nossos votantes são cavalheiros, o que tem gerado um efeito estapafúrdio no campo de milho, no lado oeste da Quinta, que talvez um dia descreva.
no cartaz publicitário de 'Bleu'       Estatísticas e massarocas aparte, temos uma vencedora. Estrela em Chocolate, em A Insustentável Leveza do Ser, e em Azul (da trilogia de Kieslowsky), entre outros, demonstra versatilidade na arte dramática, tem uma carinha laroca e sabe falar francês. Capaz de transmitir irreverência, frescura, paixão, serenidade, mereceu, pois, a preferência do nosso público feminino.
no seu habitual ar de sociopata       Não queria deixar de dar também uma palavrinha a propósito das escolhas sobre os cavalheiros. A sobriedade de Eastwood levou a melhor sobre os alucinados Cage e Liotta, sendo que este último conseguiu a proeza de não arrecadar um único voto. Provavelmente porque Ray mete medo ao susto a qualquer um, com aquele ar de sociopata de grau de periculosidade semelhante ao alerta vermelho em central nuclear. Por tudo isso, para ele o nosso abraço.


plantado por Badalo @ 19:23 |

   
     junho 03, 2004

A Nega 

 

       Estava o dia a correr tão bem, as galinhas sossegadas, até, e nem caiu ninguém no poço, quando escorreguei na asneira de ir à caixa do correio. Gosto de ir buscar a correspondência, sinto-me bem quando reúno todos no loft do celeiro e aprecio os esgares enquanto esperam pelo momento em que distribuo as cartas. Mas desta vez a carta mais importante era para mim. Pois. Uma carta com timbre oficial. Vinda do Ministério, muito sóbria e em envelope franquiado. Pedi à minha mui querida Vaca Louca para abrir-ma. Leu-ma devagarinho, e percebi que a coisa tinha corrido mal quando deixou uma frase a meio, atirou a carta para uma fogueira que convenientemente ali crepitava e desafiou: "vamos brincar?".

       Claro que mais tarde voltei ao local do crime, e, através de uma técnica muito sofisticada - por demais fastidiosa de explicar aqui, mas que envolve a manipulação de substâncias e preparados químicos muito delicados e perigosos - consegui recuperar das cinzas a missiva oficial, vinda do Ministério. Referia-se ao meu pedido de subvenção há tempos formulado para que pudesse prosseguir a minha investigação sobre a melhor forma de combater a ameaça alienígena, a qual tive oportunidade de explicar em A Teoria da Conspiração (5 de Maio, disponível no Sótão). Patati-patatá, a retoma ainda não chegou em força, é preciso apertar o cinto, solidarizam-se com o meu esforço científico, blá-blá-blá e mais blá para concluírem que não havia dotação orçamental para financiarem a instalação do meu centro de estudos num paraíso tropical (local adequado, como expliquei, devido à fauna e flora locais serem adversas ao misterioso e indetectável espargido atmosférico).

       Creio ser escusado narrar detalhadamente o fluxo lacrimal que me escorre pela face. É o adeus ao projecto. O adeus à esperança de reagirmos contra este maléfico propósito de invasão extraterrestre. Pior do que isso, é o adeus ao escritório de sonho. Snif.

O Escritório de Sonho


plantado por Badalo @ 23:02 |

   
     junho 02, 2004

Olimpo em Guerra 

 

A Guerra dos SexosAs trevas abateram-se sobre a terra.
No Olimpo reina o caos, pois Deuses e Deusas entraram em Guerra devido a grandes divergências.
As Deusas alegam que o sexo feminino é e sempre foi superior ao masculino. Os Deuses, por seu lado, invocam a sua superioridade ancestral.
Foi lançado o desafio a todos nós, simples mortais. Juntai-vos à batalha.
Lutai pelo vosso género, debatei-vos com bravura e enchei-vos de coragem.
Desembainhai a espada do argumento e ide em socorro do vosso género.
Começou a Guerra no Olimpo.


plantado por Vaca Louca @ 15:03 |

   
     junho 01, 2004

Sem Comentários 

 

No Tribunal Safo-me

plantado por Vaca Louca @ 15:16 |

   
     


 

O Parzito
Ó Pra Nós

Tractor de Busca

A Parada

- Census -
Vou Assinalar Abaixo a Minha Idade:
De 4 a 6 anos.
De 7 a 10 anos.
De 11 a 15 anos.
Mais de 15 anos.

Sótão

  • Janeiro 2004
  • Fevereiro 2004
  • Março 2004
  • Abril 2004
  • Maio 2004
  • Junho 2004
  • Julho 2004
  • Agosto 2004
  • Setembro 2004
  • Outubro 2004
  • Novembro 2004
  • Dezembro 2004
  • Janeiro 2005
  • Fevereiro 2005
  • Março 2005
  • Abril 2005
  • Maio 2005
  • Junho 2005
  • Julho 2005
  • Agosto 2005
  • Setembro 2005
  • Outubro 2005
  • Novembro 2005
  • Janeiro 2006
  • Fevereiro 2006
  • Outubro 2006
  • Na Pocilga
    Diário da República I, II, e III séries

    No Celeiro
    Nove Amanhãs
    Isaac Asimov


    Weirdos From Another Planet
    Bill Waterson


    Sonetos
    Florbela Espanca

    Especialidades da Casa
    · bAtAtAs FrItAs
    · Fata Morgana
    · Luz & Sombra
    · Novos Vôos
    · Os Dias da Música
    · Robina

    Poços de Cultura
    · A Causa foi Modificada
    · A Origem do Amor
    · Aviz
    · Barnabé
    · Blog de Esquerda II
    · Contra a Corrente
    · Ene Coisas
    · Exacto

    Fontes de Lazer
    · A Funda São
    · Abstracto Concreto
    · Blogue dos Marretas
    · Carapau de Corrida
    · Catwalk
    · Cruxices
    · Espuma dos Dias
    · Farinha Amparo
    · Gato Fedorento
    · Gotinha
    · Há VidemMarkl
    · Just a Kiss?
    · Miss Vitriolica
    · Mas Isto...?
    · His Guide To Our Galaxy
    · Núcleo Duro
    · Psicotapa
    · Quinta dos Animais
    · Sem Pénis, Nem Inveja
    · The English Manager
    · The Old Man
    · Triciclo Feliz
    · Webcedário

    Pastagens Frescas
    · 100 Tretas
    · 3Tesas Não Pagam Dívidas
    · Baby lónia
    · Blimunda
    · Blogopédia
    · Diário de Um Pêlo Púbico
    · Dúvidas Dúbias
    · O Blog do Bidé
    · O Diário de Conchita
    · O Meu País Azul
    · O Vizinho
    · Pé de Meia
    · Porca de Vida
    · R por Minuto
    · Too Much
    · Yulunga
    · You’ve Got Mail

    Planícies de Aluvião
    · Bimba Ininteligível
    · Fachadas Perversas
    · Guerra dos Sexos
    · Horizonte Quase Perdido
    · Pobre Menina Rica
    · Porquinho da Índia

    Caixa de Areia
    · Construir
    · Ginástica Digital
    · Imberbe
    · Mystery of Time&Space
    · Mixturar
    · Pérolas a Porcos

    Baú
    · 10.ª Arte
    · Arte?
    · Crítica
    · Emily
    · Inépcia
    · Leituras
    · Hi Tech
    · La Fura
    · O Culpado
    · Subterrâneo

    Alfaias
    · Animados
    · Cinemas
    · Cores
    · Dicionário
    · Dictionary
    · Escola
    · Estáticos
    · Estáticos II
    · Farmácias
    · Index

    Escreva-nos

    Site Meter

    Design by
    ButchyWaffers.com

    Powered by
    Blogger

    Powered by Blogger

    Weblog Commenting by HaloScan.com


    Free polls from Pollhost.com
       


     

    ______________


    ______________


       

    ______________


       

    ______________


       

    ______________


       

    ______________


       

    ______________